domingo, 28 de maio de 2017

Biomassa de BANANA VERDE – BENEFÍCIOS e como FAZER


A biomassa de BANANA VERDE é uma preparação feita a partir da polpa de bananas verdes cozidas. A banana verde é considerada um alimento funcional por causa das suas diversas ações medicinais, além de ser rica em nutrientes. Por isso, conheceremos um pouco mais sobre esse alimento neste artigo.


Nutrientes da biomassa de banana verde

A biomassa é rica em nutrientes. Entre os principais nutrientes presentes nesse alimento funcional estão:
Vitaminas: vitamina A, vitamina C e vitaminas do complexo B
Minerais: cálcio, ferro, potássio, fósforo, magnésio, zinco, entre outros
Aminoácidos
Fibras: amido resistente
Benefícios da biomassa de banana verde

Os benefícios oferecidos pela biomassa de banana verde são muitos. A grande maioria ocorre por causa da presença das fibras (amido resistente) nesse alimento. Por isso, entre os vários benefícios que esse alimento pode oferecer para a saúde, podemos citar:
Ajuda no emagrecimento

O emagrecimento através da biomassa de banana verde ocorre por causa do baixo conteúdo de calorias, pois 100 gramas da biomassa possui, em média, 65 calorias e também por causa da presença das fibras.

As fibras são nutrientes que dão mais saciedade quando estão presentes no trato gastrointestinal. Com isso, a fome fica mais retardada e a ingestão alimentar mais controlada.

Além disso, as fibras controlam a absorção do açúcar no intestino que passa para a corrente sanguínea de forma mais devagar. Assim, a saciedade também dura mais tempo porque a glicose não aumenta bruscamente e não é retirada pela insulina imediatamente do sangue. Quando a glicose é retirada do sangue de forma rápida, a fome surge de forma mais rápida também.



Ajuda no controle do colesterol

Com o consumo frequente da biomassa de banana verde o colesterol fica mais controlado. Isso ocorre porque as fibras, quando estão presentes no intestino, controlam a absorção das gorduras. As fibras, junto com a água, formam uma espécie de gel no intestino criando uma barreira que controlam a absorção das gorduras fazendo com que elas sejam absorvidas de forma mais lenta para o sangue. Assim, as taxas de colesterol ficam mais controladas.



Controla a diabetes

O controle ou combate da diabetes tipo 2 também se dá por causa do amido resistente presente na biomassa de banana verde. Essas fibras, assim como ajudam a controlar o a absorção do colesterol no intestino, também ajudam a controlar a absorção do açúcar.

Dessa forma, com vimos, o açúcar passa a ser absorvido de forma mais lenta e constante. Com isso, a glicose sanguínea se mantém em níveis mais constantes sem o aumento brusco que prejudica o diabético.
Melhora o funcionamento intestinal

As fibras desse alimento também ajudam a manter o funcionamento intestinal mais normalizado. Elas estimulam os movimentos intestinais e ajudam na formação do bolo fecal juntamente com a água. Isso melhora a evacuação e combate a constipação (prisão de ventre).
Combate a depressão

A biomassa de banana verde ajuda a combater a depressão e também a ansiedade por causa do aminoácido triptofano. Esse aminoácido é precursor do hormônio serotonina que está envolvido na sensação de bem-estar e prazer. Além disso, regula o processo do sono.
Como fazer a biomassa

Para o preparo da biomassa de banana verde, separe a quantidade de bananas que desejar a lave-as. Coloque em uma panela de pressão e deixe cozinhar por, em média, 30 minutos. Retire do fogo e deixe esfriar. Retire as cascas das bananas e coloque a polpa no liquidificador. Triture bem até formar uma pasta homogênea. Se necessário, adicione um pouco de água.

A biomassa pode ser adicionada a diversas preparações como sucos, vitaminas, sopas, molhos, feijão, massas e em todas as preparações que você desejar.

Pode ser armazenada na geladeira por até 5 dias ou congelada por até 3 meses. Congele em pequenas porções para facilitar o uso. Pode ser em forminhas de gelo ou pequenos recipientes.

A biomassa de banana verde pode ser feita de qualquer banana e somente no estágio verde, pois é a fase da fruta onde está presente o amido resistente, ou seja, as fibras que oferecem a maior parte dos benefícios desse alimento. Na fase madura, esse amido passa a ser açúcares simples como a sacarose e a frutose não exercendo, portanto, parte dos benefícios citados.



Redação: Samara Santos

sábado, 24 de dezembro de 2016

DELINEADOR, COMO USAR, PASSO Á PASSO:


Delineador como usar passo a passo: Quem não é fã do delineado perfeito? Aquele traço preto com o puxadinho que dá um charme aos olhos, abre o olhar, completa a make, enfim, todos sabem que o delineado dá toda diferença pra uma maquiagem, mas quando não é bem feito pode acabar com ela. Mas hoje você pode se preparar para perder o medo, hoje vamos ensinar como traçar a linha perfeita que toda fã de maquiagem precisa saber fazer. Mãos à obra!

Delineador como usar passo a passo – Delineador líquido 


 Delineador como usar passo a passo
Delineador como usar passo a passo (Foto: Divulgação)
Delineador como usar passo a passo (Foto: Divulgação)

Escolha do delineador perfeito

Existem inúmeras opções de delineador como usar, líquido, em gel, caneta e alguns que são até meio bizarros, mas pra traçar um delineado bonito e charmoso é claro que a escolha do delineador influencia. O mais comum é o líquido, porém caso você não tenha prática e/ou medo, nossa recomendação é a caneta, que é a forma mais prática de aprender.
Delineador como usar passo a passo (Foto: Divulgação)
Delineador como usar passo a passo (Foto: Divulgação)

Passo a passo de como começar delinear

  1. Comece com um traço fino na parte interna dos olhos, no cantinho.
  2. Faça em um dos olhos e depois no outro, isso para que o traço fique simétrico.
  3. Depois disso desenha a linha até o final dos olhos, nos dois lados, na horizontal, seguindo a raiz dos olhos.
  4. O maior segredo para fazer um delineado bem feito é começar com um traço fininho e ir engrossando aos poucos, terminando no canto externo fino novamente.
Delineador como usar passo a passo (Foto: Divulgação)
Delineador como usar passo a passo (Foto: Divulgação)

Como traçar o gatinho

Até então você já delineou o olho todo o que, pode acreditar, é uma das tarefas mais difíceis do delineado, mas agora falta o toque final, o charme do delineado: o gatinho! Faça um traço de cada lado, seguindo a mesma direção em ambos, o traço vai marcar o limite do puxado e a direção pode ser definida pelo final da sobrancelha. Por último, faça outro traço que junte a pontinha do primeiro à linha que foi feita. Pronto!

No começo você pode encontrar dificuldades, mas de acordo com a prática você vai aprimorar o delineado e chegar ao resultado perfeito, boa sorte!

segunda-feira, 4 de abril de 2016

7 FILMES INFANTIS QUE ABORDAM CONSCIÊNCIA E CONSERVAÇÃO AMBIENTAL




Acho que essa lista é essencial para crianças, mas diz muito sobre adultos. Diz muito sobre o mundo em que vivemos e nossa intensiva campanha em destruí-lo. Narra com histórias lúdicas o obvio: sem natureza, como sobreviver? E temos em doses divertidas e sensíveis a ilustração de quão contraditório e cego pode ser o ser humano, destruindo vida em busca de uma “vida melhor”.
Então antes de adentrar em qualquer assunto, como sempre, aconselho que você reserve uma tarde, faça algo gostoso para comer e sente com seu filho para ver algum destes títulos. Mais importante que apresentar lições e conteúdo de qualidade para crianças, dar o exemplo tem sido o melhor dos métodos.
Não basta apenas falar “Preservar o meio ambiente é importante, queridx, por favor, veja esse filme”, é necessário inserir o hábito da conservação e restauração do meio ambiente em nossa rotina. Como garantir um futuro melhor para nossos filhos? Mostrando na prática que a mudança é possível. Sim, podemos transformar nossas práticas em algo positivo.
Temos aqui lindas imagens, com animais, árvores, aventuras e a maior lição de todas: precisamos valorizar a vida, e não só a nossa.
E muito me espanta que num país que possuí a maior área da Floresta Amazônica, tribos intocadas e uma diversidade de fauna e flora de colocar continentes no chão, se produza tão pouco conteúdo infantil abordando tais temas. Alô indústria! Vamos falar de coisa boa, vamos falar de meio ambiente!
Então segue mais uma lista da nossa coluna semanal #conteúdodequalidade. Boa diversão

1. O Lorax: Em Busca da Trúfula Perdida
Acho que vi esse filme no mínimo umas 100 vezes no último 1 ano. Helena é completamente doida por esse filme e houve épocas que ela via o filme ad infinitum e nós vivíamos cantando a música. Era Let It Growwwww 24 por dia – sim, é muito parecido com a do Frozen e chiclete com o mesmo potencial.
Mas para nós é o melhor filme infantil para discutir destruição, conservação e restauro do meio ambiente, e ainda tem pitadas geniais de como a indústria se beneficia e distorce nosso senso do que é correto. O filme é baseado no livro do Dr. Seuss, que foi um cartonista e desenhista americano responsável por personagens como O Gato de Cartola, Grinch e Lorax. Procurem livros dele, é fantástico!
No filme temos Ted, um menino com ótimas intenções: conseguir um beijo da garota que gosta, mas ela é uma ativista [yey!] e completamente apaixonada pela história das Trúfulas, árvores que foram extintas antes dos jovens personagens nascerem. Então acompanhamos a busca de Ted pela última Trúfula e o retorno ao passado de Thneedville, a cidade feita de plástico onde as árvores são mantidas com pilhas.
Retornamos na história do filho rejeitado que busca a aprovação da mãe. Um dia ele resolve partir em busca de um futuro melhor – leia-se: impressionar a família – e descobre uma linda floresta de Trúfulas; no primeiro momento ele fica maravilhado, mas já vai logo tirando o machado e cortando uma das lindas árvores para fazer um “lindo” e super prático tecido. Nessa chega Lorax, o Guardião da Floresta, que entra de forma triunfal para colocar nosso Umavez-ildo no lugar. Só que a ambição humana é implacável e isso fica muito evidente durante o filme, que tem músicas fantásticas, uma animação linda e um dos melhores roteiros que já vi.
O estúdio que criou O Lorax para os cinemas, Illumination Entertainment, é o mesmo do Meu Malvado Favorito, então corre e vai lá ver.

2. Nausicaä do Vale do Vento
Esse filme é uma das obras primas de Hayao Miyazaki, diretor e roteirista japonês responsável pelo Studio Ghibli, lugar onde nascem os filmes mais lindos do mundo. Se você nunca ouviu falar em nenhum desses dois nomes, corra procurar sobre e veja todos os filmes com seus filhos.
Dias de Fogo é um evento conhecido por ter destruído o ecossistema da Terra e a civilização humana. Os que restaram do grande evento de esforçam em conseguir sobreviver, já que o clima e as condições são áridas e a população teve que recorrer a tecnologia para se manter, isolados em pequenos impérios.
Nausicaä é uma princesa de um pequeno império no Vale do Vento, que além de tentar conter as investidas de outros reinos, também estuda uma floresta chamada Mar da Corrupção, cheia de plantas, fungos e insetos gigantes, onde o ar é tóxico e tem devastado todo o planeta com seus danos. Ao contrário do restante da população, Nausicaä se sente fascinada pela floresta e acredita que ela possuí belezas, mesmo depois dos danos terem causado a morte de quase toda a sua família.
É uma história linda sobre o quão nocivo podem ser os danos causados pelos seres humanos na natureza, mas que nem tudo está perdido. E foi a primeira produção do Hayao Miyazaki, já que enquanto a Disney lançava sua Branca de Neve, os japoneses do outro lado do mundo mostravam que meninas podiam ser cientistas e voar!

3. WALL-E
Eu choro com esse filme, eis a realidade. É a animação que vi mais vezes sem ser coagida pela minha filha.
É uma animação da Pixar [amamos eles] e foi dirigido pelo mesmo diretor de Procurando Nemo, que também aconselhamos ver.
A história se passa num futuro distante onde a Terra está destruída e soterrada em lixo. Tudo isso aconteceu por nosso cultura consumista, que engoliu, processou e vomitou até que o planeta estivesse sem recursos naturais e com tranqueiras empilhadas sobre tudo; e claro que isso aconteceu com a ajuda de uma megacorporação, a Buy-n-Large , que também foi a responsável pela retirada da população humana da Terra até ela se “restabelecer”. Nossa sociedade começou a viver em naves no espaço, sedentários, se alimentando de porcarias, até que se viram impossibilitados de caminhar. É chocante ver em uma animação nossa sociedade espelhada de forma tão honesta. Realmente chega a causar angústia, pois parece [ou será] que esse é o nosso futuro.
Nós começamos a acompanhar a rotina de WALL-E, um robô coletor de lixo que vive na Terra, sozinho, sendo fofo. Até que um dia chega a EVA, outro robô, mas nesse caso ela foi enviada para buscar vida na Terra… e calha que WALL-E tem surpresas. E assim começa a aventura, com nosso robô fofo correndo atrás da super high tech.
É minha produção preferida da Pixar, não só por colocar todas as métaforas de forma genial, mas porque eles conseguiram criar um personagem que não fala nada além do próprio nome e “EVA” e mesmo assim é expressivo e carismático. WALL-E é o aluno nerd do fim da classe que você quer abraçar – e de quebra ele ajuda a salvar a humanidade.

4. Minúsculos [Minuscule – La vallée des fourmis perdues]
Essa linda e bem escrita produção francesa não fala diretamente sobre o impacto humano no meio ambiente, mas conta a história de uma guerra entre formigas com riqueza bélica, tática e de humor quando uma cesta de piquenique é abandonada.
Um casal saí correndo quando a mulher entra em trabalho de parto e deixa toda a comida do piquenique no local, gerando a trama dessa animação que dura poucos minutos, não tem nenhum diálogo, mas deixa nosso coração cheio de ensinamentos de trabalho em equipe, generosidade e como decisões humanas podem impactar na vida de outros seres, mesmo sendo “apenas” formigas.
Nossa Joaninha-macho que toma partido na guerra é acolhida de forma muito divertida pelo grupo e se vê engolida por forças mais potentes que seus curtos braços. É um daqueles filmes para se assistir junto com a família e além de se deliciar com uma arte realmente bem produzida, ver uma versão dos filmes com formigas muito bem feita e didática quando discutida.

5. O Mundo dos Pequeninos
Esse filme é do diretor Hiromasa Yonebayashi, que fez uma linda adaptação do livro The Borrowers, da escritora Mary Norton, que publicou a história dessas pequenas pessoas em 1952.
O filme conta a história de Arrietty e sua família, pequenos seres que parecem pessoas normais, mas com 10cm de altura, e que vivem no assoalho de uma casa em Tóquio. Com a chegada de Sho, um garoto doente, uma amizade um tanto inusitada nasce entre eles. Durante toda a história a sensação é que os Barrows são seres da natureza, talvez uma releitura das “fadas”, mas que se viram forçados a habitar pequenos lugares a medida que a civilização domesticava animais e se espalhavam em locais intocados. Mas infelizmente eles não estão seguros nem dentro da própria casa, já que quando um dos adultos descobrem que a casa pode estar sendo habitado pelos “pequenos intrusos” começa uma guerra em busca de extinguir Arrietty e sua família.
É um filme muito lindo, com uma histórica tocante e com uma narrativa que foge da fórmula americana. Deixa ainda mais a sensação de que os intrusos são os seres humanos, já que forçam todos os seres a se habituarem com seus gostos e sonhos, e nunca o contrário, aceitando a ordem natural da natureza.

6. Era uma Vez na Floresta
Esse filme foi a minha infância, mas apesar de sempre ver Ferngully em vários lugares como filme que discute conservação do meio ambiente, esta obra incrível dirigida por Charles Grosvenor nunca está em lado algum.
Abgail, Edgar e Russel vivem felizes numa floresta, tal como um rato, uma toupeira e um ouriço devem viver. Eles são amigos e seguem sua rotina como sempre, até que um dia um homem chega na floresta espalhando gases tóxicos e adoece Michelle, amigas deles. Então começa a busca do três amigos, junto com o Tio Cornelius, de uma forma de salvar Michelle e a floresta.
É um daqueles filmes antigos, de 93, que contam fábulas de uma forma simples e divertida. Até hoje não entendo porque se fala tão pouco nesse filme, mas recomendo para todo mundo.

7. Princesa Mononoke
Mais um do Hayao Miyazaki! E esse é meu filme preferido dele, porque temos um japão onde os seres humanos convivem com deuses da natureza e suas forças que trazem destruição para florescer a vida.
Somos apresentados ao Príncipe Ashitaka, que após matar o terrível deus-Javali se vê amaldiçoado pelo mesmo. Angustiado, ele foge da mesma aldeia que lutou tanto para defender e nesse longo caminho acaba por conhecer San, a Princesa Mononoke.
Numa aldeia está sendo travada uma luta e do lado dos deuses-animais está San, que foi adotada e criada por uma tribo de deuses-lobos. Seu ódio pelos seres humanos que estão destruindo a natureza é enorme e ela com o tempo foi se esquecendo do seu lado humano, até o seu encontro com Ashitaka.
E nisso a história se desenvolve, entre uma guerra entre a civilização que quer se estabelecer e a natureza, e seus protetores, que lutam incansavelmente contra a destruição.
Colocamos aqui os filmes que acreditamos que não são abordados com frequência, mas recomendamos também:
Irmão Urso, Vida de Inseto, Reino Escondido, Tainá – Uma Aventura da Amazônia, Mogli – O Menino Lobo, Procurando Nemo, Rio [1 e 2] e A Fuga das Galinhas.
Via Não pule da janela – naopuledajanela.com.br

http://vivagreen.com.br/blog/7-filmes-infantis-que-abordam-consciencia-e-conservacao-ambiental/

domingo, 28 de fevereiro de 2016

O MEU CÃO NÃO É UM ANIMAL DE ESTIMAÇÃO, É A MINHA FAMÍLIA!!!





O meu cão não é um animal de estimação, é a minha família



Costumam dizer que quem nunca teve um animal de estimação, quem nunca descobriu o que é viver com um gato cativante ou com um cão obcecado por pedir um pouco de atenção, não sabe o que é o amor mais puro e desinteressado…

Esse que se oferece em troca de nada, o que não guarda ressentimentos e que, em silêncio e através de pequenos detalhes, vai fazendo da sua vida um cenário mais agradável e autêntico.


Entendemos o termo animal de estimação como um animal domesticado que convive com os seres humanos. Contudo, poderíamos dizer que essa ideia vai mais além: não apenas convive, como é parte essencial da própria família.


É possível que para muitas pessoas essa ideia seja difícil de entender, em especial se pensarmos em interpretar a palavra família como a união através do sangue que estabelece um tipo determinado de relacionamento e parentesco.


Agora, na verdade essa palavra contem diferentes enfoques. Às vezes o sangue não é suficiente para “criar família”, porque são os vínculos baseados na reciprocidade, nos relacionamentos significativos e na autenticidade do dia a dia que nos une, que fazem com que precisemos tanto das pessoas e dos animais ao nosso redor.



Toda emoção positiva, venha de onde vier, nos enriquece e nos faz crescer. Portanto, está tudo bem se todos os dias você deixa um espacinho no sofá para o seu bicho de estimação, junto a seu companheiro ou seus filhos.



Talvez as pessoas riam se você explicar que toda manhã o seu gato vem acordar você, ou que o seu cão intui primeiro que o seu próprio pai as suas tristezas.



Eles também fazem parte das nossas vidas emocionais e, por isso, os acolhemos, os integramos e os reconhecemos como parte íntima do nosso DNA particular. Da nossa família.
Quando somos adotados por um animal de estimação



Você já experimentou o que implica ser adotado por um animal de estimação? Quando um animal chega em nossas vidas, nos observa com timidez e surpresa, porque o mundo dos humanos às vezes é demasiadamente complexo para ele.


As pessoas são volúveis, armazenam momentos de ira e instantes de felicidade, às vezes praticam o rancor e o que hoje não gostam amanhã as fascina. Por outro lado, os gatos e os cães são sempre iguais e só esperam uma coisa: serem amados.


Quando somos adotados por um animal de estimação muitas coisas que não percebemos mudam em nosso interior. Eles, através dos seus olhares limpos, brincalhões e sinceros, sabem ler muitas mais coisas do que pensamos.



– Ao adotar um animal de estimação de repente descobrimos que somos o centro da atenção de um animal, que depende de nós… e nós deles. Adoramos esse instante de chegar em casa e sermos recebidos com aquela alegria transbordante.



– Eles precisam ser integrados na família como mais um membro. Gostam das rotinas, dos hábitos e de que sempre sejam tratados do mesmo jeito, sem incongruências.

– Quando a adoção se transforma em plena integração, todos mudam um pouco. Eles se tornam protetores, somos seus vínculos mais estreitos, suas referências, seu colo da tarde para tirar uma soneca.



– Eles para nós são essa válvula de escape emocional de cada dia, nossos confidentes silenciosos, o consolo das tristezas e a explosão dos momentos de risadas e relaxamento.



Quando somos adotados por um animal de estimação a nossa família fica maior, e o nosso coração mais forte. Cuidar deles será uma obrigação, mas gostar deles é o melhor dos privilégios.
O meu animal de estimação é único, e eu sou único para ele



Se há um aspecto gratificante na hora de integrar a um cão ou um gato em nossa família, é a sensação de que somos o centro da sua existência. Não muda nada se um dia você acorda de mau humor, ou se hoje o dia terminou do pior jeito possível e você fracassou nos seus objetivos…
Para eles, para os nossos animais, sempre somos os mesmos, aconteça o que acontecer. Não importam os seus erros, suas distrações, a sua aparência, e menos ainda qual seja o seu passado. Eles vivem o momento presente e só sabem demonstrar que você é alguém que merece ser amado.


Às vezes, carregados como vamos com as nossas preocupações diárias, com nossa pressa e responsabilidades, não percebemos como os olhares dos nossos cães, dos nossos gatos estão postos sobre nós… E isso é algo que deveríamos fazer.



Eles vivem cada momento da forma mais plena possível. O ontem não existe e o amanhã não tem sentido, só anseiam passar um bom momento com você , esperando sempre que seja o melhor, o mais intenso, desestressado e feliz.



Não são exigentes, nunca o julgarão e têm a sutil habilidade de tirar o melhor de você.Quando você chega em casa com a tristeza colada em seu rosto, eles, os seus animais de estimação, a sua família, sabem como desvanecer os seus pesares na hora.


Sempre aceitam um abraço, uma carícia e uma palavra amável. Deixam-se amar esperando que você faça o mesmo. São criaturas leais que fazem do nosso dia a dia uma aventura de anedotas, de instantes amáveis que sempre dormirão no melhor lado do seu coração.


Imagem cortesia de

terça-feira, 24 de novembro de 2015

FACEBOOK SE APAVORA COM O CRESCIMENTO DE NOVA REDE SOCIAL:




Numa crise como a do Brasil, com milhares de desempregados, o que você acha de ganhar dinheiro apenas para navegar numa Rede Social, postar conteúdo, curtir, etc... ? Nada mal, não é ?



Mas, para entrar nessa Rede Social nova, só sendo convidado !



Segue o meu convite para você : https://www.tsu.co/Henrique_Regis



Clique na palavra JOIN, em verde, no alto da página e se cadastre !



Veja matéria :



O Tsu foi criado há um ano e só pode ser utilizado por pessoas convidadas por membros da plataforma. O grande diferencial da rede é que os usuários podem receber recompensas por sua participação.

O CEO da empresa, Sebastian Sobczak, explica que o Tsu é como outras plataformas disponíveis atualmente. Nele os usuários podem compartilhar vídeos, fotos e outros conteúdos para seus amigos e seguidores, além de permitir escolher com quem compartilhar esse conteúdo. O funcionamento é semelhante ao do Facebook.

O site garante que 90% de tudo que é arrecadado com anúncios vai para os usuários, pedindo em troca que o conteúdo criado seja postado primeiro no Tsu. Os usuários recebem de acordo com suas interações com o que é postado. O criador recebe uma quantia, o primeiro usuário a compartilhar recebe outra que vai diminuindo e assim por diante. É possível ainda doar o acumulado para uma instituição de caridade ou algum outro membro, assim como receber um cheque com o valor a partir da marca de US$ 100.

A rede social pode ser também uma boa via de captação para artistas. Andrew Fromm, compositor de músicas para Selena Gomez, Backstreet Boys e N’Sync, disse à revista ‘Fast Company’ que recebeu US$ 100 em três semanas no Tsu.



Sobczak explicou que a pronúncia correta de Tsu é “sue”, que significa ‘estética ideal’ em japonês. De acordo com o Huffington Post, o Tsu já concentra 4,5 milhões de usuários, número considerado bom por especialistas e com crescimento superior ao Facebook e Twitter.



Fonte :

http://olhardigital.uol.com.br/pro/noticia/conheca-o-tsu-o-facebook...

domingo, 8 de novembro de 2015

ALZHEIMER, A DOR DE ESQUECER:



Considerado como o mal da atualidade – vem caindo com frequência até em questões de vestibulares, assunto de filmes e novelas que trazem o tema e mostram as pessoas a importância para o diagnóstico precoce, pois a degeneração já começa antes dos sintomas. Descubra tudo sobre o Alzheimer aqui.


O que é o Alzheimer?

O Alzheimer é uma doença que é classificada como transtornoneurodegenerativo que tem por consequência a destruição progressiva e irreversível dos neurônios, causando a diminuição das funções cognitivas. É considerado a forma mais comum de demência. Estudos recentes sugerem que esta relacionado ao acumulo de determinadas proteínas no cérebro que podem ser toxicas aos nossos neurônios, causando a diminuição dos níveis do neurotransmissor aceticolina, responsável pela condução dos impulsos nervosos da memória e aprendizado. Por isso o doente apresentar a confusão mental. Ainda não existe cura para o Alzheimer, no qual apresenta um quadro progressivo da doença até a morte do doente. No Brasil há aproximadamente cerca de 1,5 milhão de pessoas diagnosticados com o mal de Alzheimer, sendo 66% delas mulheres de acordo com a ABRAZ (Associação Brasileira de Alzheimer). A doença é geralmente diagnosticada em pessoas com idade superior a 65 anos, embora possa ocorrer mais cedo. A uma estimativa que até 2050 o mal de Alzheimer será diagnostica em 135 milhões de pessoas no mundo.
Principais causas

As causas e progressão da doença ainda não são completamente compreendidas, embora se saiba que estão associadas às placas senis e aos novelos neurofibrilares no cérebro. Exceto em 1-5% dos casos onde têm sido identificadas diferenças genéticas. Existem diversas hipóteses que tentam chegar a uma explicação para a origem da doença:

Genética – a hereditariedade genética da doença de Alzheimer varia entre 49% e 79%. Cerca de 0,1% dos casos são formas familiares de transmissão autossômica dominante, as quais geralmente ocorrem antes dos 65 anos de idade.

Hipótese colinérgica – baseia a maior parte das terapêuticas farmacológicas. Esta hipótese propõe que a doença de Alzheimer seja provocada por uma insuficiência na síntese do neurotransmissor acetilcolina. Esta hipótese não reúne atualmente apoio generalizado, em grande parte porque a medicação para o tratamento da deficiência em acetilcolina não tem demonstrado ser eficaz.


Hipótese amiloide – os depósitos extracelulares de beta amiloides (Aβ) são a causa fundamental da doença de Alzheimer. Este postulado baseia-se na localização do gene da proteína precursora amiloide no cromossoma 21 e no fato da quase totalidade das pessoas com trissomia 21, as quais têm uma cópia adicional de genes, manifestarem Alzheimer antes dos 40 anos de idade.

Hipótese da proteína TAU – propõe que a doença seja desencadeada por anormalidades na proteína tau. Neste modelo, a proteína TAU hiperfosforilada começa por se associar a outras cadeias de tau, formando novelos neurofibrilares no interior das células nervosas. Quando isto ocorre, os microtúbulos desintegram-se, destruindo o sistema de transporte dos neurônios.
Sintomas

Muitas vezes, os primeiros sintomas da doença são perda da memória e distúrbios de comportamento, que são associados ao envelhecimento, mas não quando acontecem com frequência e impacta na rotina diária. Quando se suspeita de Alzheimer, o paciente é submetido a uma série de testes cognitivos e radiológicos para confirmar o diagnóstico. Com o avançar da doença vão aparecendo novos sintomas como confusão mental, irritabilidade e agressividade, alterações de humor, falhas na linguagem, perda de memória a longo prazo e o paciente começa a desligar-se da realidade. Antes de se tornar totalmente aparente, a doença de Alzheimer evolui ao longo de um período indeterminado de tempo e pode manter-se assintomática durante anos. Mesmo com uma aparência saudável, os portadores do Mal de Alzheimer precisam de assistência ao longo das 24 horas do dia. O quadro da doença evolui rapidamente, em média, por um período de cinco a dez anos. Os pacientes, em geral, morrem nessa fase.

O Ministério da Saúde instituiu no âmbito do Sistema Único de Saúde(SUS) o Programa de Assistência aos Portadores da Doença de Alzheimer. Esse programa funciona por meio dos Centros de Referência em Assistência à Saúde do Idoso, que são responsáveis pelo diagnóstico, tratamento, acompanhamento dos pacientes e orientação aos familiares e atendentes dos portadores de Alzheimer. Estimativas do Ministério da Saúde indicam que 73% das pessoas com mais de 60 anos dependem exclusivamente do SUS. O atendimento aos pacientes que sofrem do Mal de Alzheimer acontece não só nos Centros de Referência em Assistência à Saúde do Idoso, mas também nas unidades ambulatoriais de saúde.

A evolução da doença pode ser dividida em quatro fases:

Pré-demência – alguns testes neuropsicológicos podem revelar deficiências cognitivas moderadas até oito anos antes da pessoa cumprir os critérios de diagnóstico de Alzheimer. Estes primeiros sintomas podem afetar algumas das mais complexas atividades do quotidiano. O mais perceptível défice cognitivo na fase inicial é a perda de memória a curto prazo, ou seja, a dificuldade em recordar factos aprendidos recentemente ou em memorizar nova informação.



Estágio inicial – a progressiva degeneração da memória e da capacidade de aprendizagem características da doença permitem, a dado momento, que possa ser realizado um diagnóstico conclusivo de Alzheimer. Embora na generalidade dos casos os problemas de memória sejam o sintoma mais evidente, numa pequena percentagem de pessoas são mais proeminentes as dificuldades de linguagem, funções executivas, percepção ou execução de movimentos.


Estágio intermediário – nesta fase, as alterações comportamentais e neuropsiquiátricas tornam-se mais prevalentes. As manifestações mais comuns são um estado geral de confusão e ausência, irritabilidade e episódios incontroláveis de manifestações emotivas, como choro, agressão involuntária ou resistência à prestação de cuidados de saúde. Cerca de 30% das pessoas com Alzheimer desenvolvem sintomas de delírio.


Estágio avançado – durante a última fase da doença, a pessoa está completamente dependente dos cuidadores. A linguagem é reduzida a frases simples ou até a palavras isoladas, levando eventualmente à perda completa da capacidade de se exprimir verbalmente. Apesar da perda da linguagem verbal, muitas vezes as pessoas continuam a compreender e responder a sinais emocionais. Embora a agressividade ainda possa estar presente, a apatia extrema e o cansaço são sintomas muito mais comuns.

Diagnóstico de Alzheimer

Não há alterações orgânicas que indiquem a presença da doença, não senso assim detectada através de exames clínicos. O diagnósticogeralmente é baseado na observação comportamental e no histórico clínico da pessoa e respetivos familiares. O diagnóstico é apoiado pela presença de características neurológicas e neuropsicológicas e pela exclusão de outras hipóteses. Existem ainda avaliações psicológicas que são comparadas a da população normal que ajudam nos diagnósticos. Pode ser confirmado com elevado grau de precisão através de um exame histológico ao tecido cerebral após a morte.

Existem critérios que definem a demência como o desenvolvimento de múltiplos défices cognitivos que incluem obrigatoriamente o compromisso da memória a curto prazo e pelo menos outra perturbação cognitiva, como perturbações na linguagem, incapacidade de executar determinados movimentos, incapacidade de reconhecer objetos ou pessoas ou perturbação na capacidade executiva. Os critérios determinam ainda que estes défices devem ser suficientemente graves para terem repercussão a nível funcional e que devem representar um declínio em relação a um estado anterior.

São os exames neuropsicológicos ferramentas amplamente utilizadas, como o exame breve do estado mental. No entanto, para obter resultados mais precisos é necessário um conjunto de exames, especialmente durante os estágios iniciais da doença. Os exames neurológicos são também fundamentais no diagnóstico diferencial de Alzheimer em relação a outras doenças.

Leia também:
Tireoide – saiba tudo sobre elaFibromialgia – O coração sente, o corpo dóiEndometriose – Complicações de percurso
Tratamentos

Existem muitos estudos e pesquisas em andamento, sendo uma desenvolvida pela Universidade de Stanford que trabalha com uma droga capaz de manter em funcionamento as células do cérebro responsáveis pela remoção das substâncias tóxicas. Entretanto os medicamentos que foram aprovados apenas retardam o desenvolvimento da doença. Conforme a evolução da doença pode ser necessário a indicação de remédios para agressividade e falta de apetite. A terapia ocupacional, fisioterapia e orientação nutricional ajudam a melhorar a qualidade de vida do doente.

Os tratamentos atuais destinam-se apenas aos sintomas de Alzheimer, não existindo tratamentos para parar ou regredir a progressão da doença. Até 2012, tinham sido realizados mais de mil ensaios clínicos a vários componentes da doença. Como forma de atrasar o desenvolvimento de sintomas cognitivos em idosos saudáveis, tem sido sugerida a realização de exercício físico e mental e uma dieta equilibrada, embora não existam evidências conclusivas em relação a eventuais benefícios.

Uma vez que a doença de Alzheimer não tem cura e é degenerativa, a pessoa afetada torna-se gradualmente dependente da assistência de outros. Em muitos casos, é o cônjuge ou um familiar próximo quem assume o papel de principal cuidador. A doença tem um impacto significativo para os cuidadores, a nível social, psicológico, físico e econômico. Em países desenvolvidos, Alzheimer é uma das doenças com maiores custos sociais.
Prevenção

Atualmente não existem evidências conclusivas que permitam apoiar qualquer medida em concreto para a prevenção de Alzheimer. Os estudos globais de medidas para prevenir ou retardar o desenvolvimento da doença produzem na maior parte das vezes resultados inconsistentes. Os estudos epidemiológicos têm proposto a existência de relações entre a probabilidade de desenvolver Alzheimer e determinados factores modificadores, como o tipo de dieta, o risco cardiovascular, produtos farmacêuticos ou atividades intelectuais, entre outros. No entanto, só uma investigação mais aprofundada, incluindo ensaios clínicos, é que pode confirmar se estes fatores podem ajudar a prevenir a doença. Entre as atividades recomendadas para estimular a memória, estão: leitura constante, exercícios de aritmética, jogos inteligentes e participação em atividades de grupo.

por Redação

PACIENTE COM CÂNCER TERMINAL RECEBE VISITA ESPECIAL DE SEU CÃO:


(Reprodução/RBS TV)Rejane Chili está internada devido a um câncer terminal, em hospital de Porto Alegre. Como um de seus últimos desejos, ela pediu para receber uma visita mais do que especial e emocionou todos da equipe médica, além de familiares e amigos.

A paciente recebeu o carinho mais autêntico que qualquer ser humano pode receber, mesmo com as delicadas condições hospitalares. Ritchie, o cachorro de estimação de Rejane, chegou ao quarto pulando a cama e matando toda a saudade que tinha de sua dona. Teoricamente o encontro aconteceria com certo cuidado, devido aos riscos de contaminação. No entanto, o animal não segurou a emoção e foi correndo para o colo da paciente.

“É tudo para ela aquele cachorro. Ela ama aquele cachorro que nem ama o filho dela. Cuida do cachorrinho desde que ele tem três meses. Não via a hora de vê-lo, foi muito emocionante, apesar da dor," disse Jandira do Prado, cunhada de Rejane em material da RBS TV.

Antes de receber o animal de estimação, ela fez questão de trocar de roupa e se arrumar. Quem estava presente, se comoveu com o reencontro.

(Reprodução/RBS TV)

De acordo com Bárbara Cristine Heck, psicóloga do Grupo de Cuidados Paleativos do hospital, medidas como esta são essenciais no processo final da vida dos pacientes. De acordo com a médica que acompanha Rejane, o humor dela mudou abruptamente desde a visita de Ritchie.

“Ela, que já estava em um processo de maior recolhimento, conseguiu se expressar, se tornou mais falante, mais ativa. E sempre que a gente pensa em qualidade de vida, a gente vai pensar em relações afetivas. Sejam essas com pessoas, familiares, animais de estimação, como foi esse caso”, observou a psicóloga.

Corre atualmente um projeto de lei na Assembleia Legislativa, proposto pela deputada Regina Becker Fortunati, em que se pretende emplacar uma papel que permita a existência da chamada Terapia Assistida por Animais. Nela, a visita de animais domésticos em situações de doença seria autorizada em hospitais privados e públicos.

Inclui-se na lista de visitas bichos como cães, gatos, tartarugas, hamisters, pássaros, coelhos e chinchillas. Outras espécies poderiam também visitar, desde que haja autorização médica.

LEIA MAIS:

Cadelas à beira do sacrifício são salvas e encontram lar definitivoPolícia da Escócia ‘prende’ cachorro por assassinato